Relacionamentos Tóxicos

Atualizado: 16 de Dez de 2019

Saiba como solucionar um dos maiores problemas do ambiente corporativo e gerar valores para sua empresa

















Nada destrói uma cultura mais rapidamente do que sentimentos de perigo e desconfiança. Líderes que esperam para conter danos tóxicos correm o risco de perder tudo.


Trabalhar em uma empresa que tem um funcionário tóxico é praticamente um rito de passagem. Mesmo nas organizações mais felizes, pessoas infelizes podem causar estragos. É preciso apenas uma maçã podre para estragar um alqueire.


Segundo um estudo de Harvard onde foram apresentados números bastante preocupantes, o comportamento de um colaborador tóxico pode acabar com a motivação e o engajamento de seus colegas de trabalho. A pesquisa foi realizada com mais de 60 mil profissionais, e aponta que:

  • 80% dos funcionários perdem tempo de trabalho se preocupando com as ofensas e o tratamento rude vindo das pessoas tóxicas no ambiente de trabalho.

  • 78% dos entrevistados afirmam que seu desempenho cai por conta do comportamento de seus colegas tóxicos.

  • A relação com colegas tóxicos afeta a performance de 68% dos entrevistados.

  • 63% perderam tempo de trabalho evitando o agressor.


Os Seis Arquétipos Tóxicos


Segundo Harvard, existem seis tipos diferentes de funcionários tóxicos . Muitas vezes, muitos comportamentos indesejáveis ​​se manifestam em uma única pessoa. Eles incluem:


  1. O preguiçoso - Esse funcionário é mestre em procrastinação, passa responsabilidades para outra pessoa e inventa desculpas por que não consegue concluir seu trabalho.

  2. O intimidador - Esse funcionário é excessivamente agressivo com seus colegas de trabalho e usa sua posição ou personalidade intimidadora para alcançar os resultados desejados. O assédio moral no local de trabalho está em ascensão. Entre 25% e 50% dos trabalhadores relatam terem sido intimidados no trabalho em algum momento de suas carreiras, e as consequências são graves. Elas incluem perda de produtividade, aumento da rotatividade, danos à marca, à reputação e aumento com custos jurídicos.

  3. O fofoqueiro – Parecem não ter saído do ensino médio. Passam boa parte de seu temo entre conversas particulares com seus colegas, no café e no corredor, eles gostam de criar intrigas através da divulgação de boatos e gostam de se meter na vida de todos.

  4. O lobo solitário. "Esse não é o meu trabalho." "Eu posso fazer isso sozinho." Esse funcionário é a antítese de um jogador da equipe. Eles geralmente apresentam desafios únicos porque geralmente são de alto desempenho.

  5. O Emotivo. Colaboradores que trazem problemas emocionais particulares para dentro da empresa. Os funcionários que usam seu ambiente de trabalho como consultório de um terapeuta são perturbadores, mesmo que não sejam maliciosos.

Uma organização só cresce tanto quanto seu pessoal.

Esses tipos peculiares de comportamentos nos afetam no convívio diário, em qualquer esfera ou círculo de relacionamento, seja ele familiar, laboral, e ou social em geral.

Assim podemos estar diante de situações complicadas, até mesmo com os mais íntimos.

Compreender as atitudes e reações tóxicas, no sentido de contorná-las é também uma forma de ajuda e melhora da saúde emocional daqueles que nos cercam, em qualquer ambiente ou situação.

Isso pode dar resultados espetaculares principalmente no âmbito corporativo e familiar.


Compreenda seu Colaborador e Ofereça Ajuda


Como gerente, comece ouvindo seus colaboradores. Descubra o que está fazendo com que um funcionário se torne tóxico. Ele está descontente com os colegas? Suas frustrações estão nascendo por estar na função errada? Ele está descontente com a empresa? Ele está infeliz em sua vida pessoal? Ele está saudável e livre de estresse?


Existem muitos fatores que podem estar afetando a vida profissional de seu colaborador. Por isso, a primeira coisa a se fazer é encontrar a raiz do problema. Então, ofereça auxilio psicológico. É através de seus próprios conselhos ou os conselhos de um profissional que os problemas inerentes podem ser identificados, fornecendo um espaço seguro para que seu funcionário entenda seus próprios problemas.


Gerencie Suas Prioridades


Entenda que algumas pessoas não podem ser ajudadas. Algumas pessoas podem precisar de um tipo diferente de intervenção que um patrão não pode oferecer. Perceba que você pode não estar equipado adequadamente para lidar com certas situações. E isso é normal.


Lidar com funcionários tóxicos pode ser desafiador, exaustivo e contra produtivo. Por isso, o que você deve fazer é encontrar uma maneira de gerenciar suas prioridades. Alguns funcionários podem mudar… outros não. Eles podem não valer a quantidade de tempo e esforço que você irá colocar neles. Escolha as suas batalhas. Às vezes, é mais fácil desistir de algo que você sabe que não vai melhorar no futuro próximo.


A Expert auxilia seus clientes através de um completo leque de soluções em Bem Estar Corporativo que atuam no diagnóstico comportamental, no Screening (diagnóstico) de saúde, e nos programas e ações que proporcionam qualidade de vida.


Saiba mais em

https://www.expertocupacional.com.br/bem-estar-corporativo


Dr. Ricardo João Mezzarane

Médico do trabalho / Perito Judicial.

Promova a felicidade corporativa e seja um protagonista da eficiência e produtividade. Saiba o que a Expert pode fazer por sua empresa.
100 visualizações

©2019 Produzido por Expert Ocupacional. 

WhatsApp_Logo_1.png